Pular para o conteúdo principal
FILME: O CÉREBRO DE HUGO
­­­­
Ficha Técnica

Título Original: Le Cerveau d’Hugo
Ano de Produção: 2012
País de Origem: França
Gênero: Documentário/Drama/Ficção
Roteiro e Direção: Sophie Révil
Elenco: Thomas Coumans (Hugo),  Arly Jover (Elisa)
           

* Glosvalda Correia

O objetivo deste trabalho é apresentar as principais particularidades do AUTISMO desenvolvidas no filme “O Cérebro de Hugo”.
Trata-se de um filme no formato de documentário, que explora os estudos realizados no mundo sobre o assunto, e inclui depoimentos de autistas, aspies (Asperger) e familiares. Dentro do documentário desenvolve-se a história de um personagem fictício (baseado em fatos reais), Hugo, um menino que, logo ao nascer, os pais percebem que ele é diferente: tem dificuldades para interagir com seus pais, chorava sem parar, e possuía comportamentos estranhos, como por exemplo tirar todos os livros da estante e jogá-los no chão da sala.
O Autismo Asperger é uma condição psicológica de espectro do autismo caracterizada por dificuldades na integração social e comunicação não-verbal, além de padrões de comportamento repetitivos e interesses restritos; o que desencadeia esta síndrome no indivíduo ainda é desconhecido pela ciência, embora se acredite que sua causa está presente na genética, ou seja, nasce-se autista. O transtorno é de origem biológica. Para Freud, o Autismo é uma doença psicológica de trauma de infância.
Hugo, personagem da história, passa por inúmeras dificuldades na escola, não tem amigos, as outras crianças o acham estranho por seu modo de falar e andar, seu aprendizado é diferenciado do das outras crianças; sendo um gênio em matemática e exímio pianista, os professores não conseguem entender seu comportamento diferente dos outros colegas em sala de aula.
Nos depoimentos de outros autistas e de seus familiares, o filme traz à tona a dificuldade que estas pessoas possuem para construir relacionamentos, viver em sociedade, arrumar um trabalho, e como são rejeitados e muitas vezes tidos como retardados, quando na realidade são geniais. Fica evidente toda a dor e sofrimento vividos por eles diante dessas situações que não conseguem evitar, mesmo tendo total consciência do que acontece.
Além de retratar a história de Hugo e sua evolução na vida e na música, e as declarações de outras pessoas autistas, o filme aborda a história dos tratamentos psicológicos, evidenciando os principais psicólogos que trabalharam no autismo e desenvolveram métodos de minimizar o transtorno e, a cada dia, tirar a pessoa autista de sua prisão interior.
O filme traz ainda severas críticas ao sistema de ensino, que rejeita a criança autista em função da sua dificuldade de aprendizado, e as encaminha a hospitais psiquiátricos de dia; locais onde se tem crianças com diferentes deficiências, onde não se importam com a educação, sem a mínima estrutura de ensino, acontecendo de, em muitos casos, a criança regredir no que já tinha aprendido até o momento, ou desenvolver outros transtornos que não possuía antes de ser remetida ao hospital psiquiátrico.
As pessoas com síndrome de Asperger são muito inteligentes, e com excelentes habilidades profissionais, o que, por si só, garantiriam um bom desempenho em um emprego, por exemplo; o grande problema para elas é o social, a dificuldade em estabelecer e manter relacionamentos.
 Em vários momentos do filme, acabamos por nos identificar com essas pessoas, porque a convivência não é fácil para ninguém. Um dos participantes do documentário diz, citando um personagem do Sean Penn em outro filme: “Só sinto solidão quando estou com as pessoas”.
A mente é deveras um assunto intrigante, o cérebro ainda é um mistério fabuloso, e os depoimentos contidos no filme nos colocam em alerta sobre o quanto precisamos aprender acerca das diferenças, sem que seja necessário rejeitar o que não pode ser entendido.
Fortaleza, CE, 15 de outubro de 2016.
*Aluna do Curso de Formação em Transtorno do Espectro do Autismo
Turma de Quinta-feira/Noite

CREAECE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mudar... mudar para alcançar Acreditando sempre ser capaz! Lutar... lutar para alcançar Questionando e obtendo resultados!(Artigo DZ9)

Strange Fruit
( Poema de Lewis Allan, pseudônimo de Abel Meeropol, publicado em 1936.)

Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black body swinging in the Southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.

Pastoral scene of the gallant South,
The bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolia sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh!

Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop.