Pular para o conteúdo principal

Um filme pra chorar...



Eu sempre digo e todos estranham, mas é a mais pura verdade: pra mim, filme perfeito é o que me faz rir e chorar; isso mesmo, rir E chorar(não necessariamente nessa ordem). Se um filme tiver que me emocionar ou me assustar ele precisa fazer isso de um modo que me arranque lágrimas e riso(mesmo que eu acabe rindo de mim mesma por estar chorando), da mesma forma a comédia, ela precisa me fazer rir até chorar...não sendo assim, pode apostar que, pra mim, ele não é bom o bastante. Quem me conhece sabe que não sou muito fã de comédia, e esse deve ser o motivo, poucas me fazem chorar de tanto rir. Todo esse preâmbulo aqui só pra falar sobre o filme Prayers for Bobby, que eu acabei de assistir. Um filme maravilhoso, que traz a impecável Sigourney Weaver interpretando a mãe de um jovem homossexual que se suicida aos 20 anos, por não conseguir lidar com o fato de ser gay em uma família que não o aceita. A história é baseada em fatos reais, se passa no meio dos anos 70, e reacende a velha discussão do homosexualismo em duas tolas vertentes: é pecado, por isso combatido veementemente pelas igrejas, e é doença, onde a cura só depende da força de vontade do "portador". Crenças ridiculamente preconceituosas, absurdas, e que têm origem exclusivamente na ignorância popular, considerando-se que uma pessoa não escolhe ser gay,ou hétero, assim como não escolhe ser branco, ou moreno. Quase 40 anos depois, pode-se dizer que muitos adolescentes ainda se encontram na mesma situação que o jovem Bobby(Ryan Kelley), assustados dinte da própria sexualidade, e acuados pela incompreensão dos que o amam. Orações para Bobby, título em português, é também, e principalmente, uma história de amor materno; pode-se dizer que foi o amor de Mary(Sigouney Weaver) por seu filho Bobby que impediu que tudo terminasse com a morte dele, pelo contrário, a perda do filho representou para ela um doloroso ponto de partida, de recomeço, e de construção de uma nova forma de ver e viver em um mundo cheio de preconceito e medo de enfrentar o desconhecido. Que sempre assusta, daí a pressa em afastá-lo.

Comentários

  1. Acabei de ver esse filme.... tô chorando até agora! Te amo mãe e tb quero que você chegue logo pra dar o beijo que você disse no orkut!

    ResponderExcluir
  2. esqueceu de mim... e edo blog tb, é????
    afffffffffffffff

    ResponderExcluir
  3. vai atualizar esse blog nunca mais???
    saudades de te ler mãe!!!!
    atualiza ae...
    ahhhhh postei o texto de Drumond que esta em seu perfil do orkut, muito lindo mesmo ele... adorei... tudo a ver com meu momento.
    Preciso te ler minha mãe, assim compartilhamos mais que momentos, partilhamos o que temos de mais nosso, os pensamentos.
    te amo minha mãe!!!!

    ResponderExcluir
  4. owwwwwww mãe, vc não é proibida de falar de mim não, só tenha cuidado, rsrsrsrsrsrsrsr brncadeirinha. escreva o que quiser e quanto as preocupações, não deixe que elas lhe tirem o sorriso do rosto e nem que atrapalhe seus escritos, faça o que for possível fazer e o resto a gente da um jeito, né??? Ou... empurra mais um bocadinho com a barriga. Tô doida que você chegue, quero conversar com você...tomei uma decisão e quero sua opinião. Beijo mãezote e se cuida... fica bem... amanhã eu entro no msn. Tô tão rouca, tive até febre mãe... mas ficarei, como sempre. beijo grande

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mudar... mudar para alcançar Acreditando sempre ser capaz! Lutar... lutar para alcançar Questionando e obtendo resultados!(Artigo DZ9)

Strange Fruit
( Poema de Lewis Allan, pseudônimo de Abel Meeropol, publicado em 1936.)

Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black body swinging in the Southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.

Pastoral scene of the gallant South,
The bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolia sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh!

Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop.


FILME: O CÉREBRO DE HUGO ­­­­ Ficha Técnica
Título Original: Le Cerveau d’Hugo Ano de Produção: 2012 País de Origem: França Gênero: Documentário/Drama/Ficção Roteiro e Direção: Sophie Révil Elenco: Thomas Coumans (Hugo),  Arly Jover (Elisa)
* Glosvalda Correia
O objetivo deste trabalho é apresentar as principais particularidades do AUTISMO desenvolvidas no filme “O Cérebro de Hugo”. Trata-se de um filme no formato de documentário, que explora os estudos realizados no mundo sobre o assunto, e inclui depoimentos de autistas, aspies (Asperger) e familiares. Dentro do documentário desenvolve-se a história de um personagem fictício (baseado em fatos reais), Hugo, um menino que, logo ao nascer, os pais percebem que ele é diferente: tem dificuldades para interagir com seus pais, chorava sem parar, e possuía comportamentos estranhos, como por exemplo tirar todos os livros da estante e jogá-los no chão da sala. O Autismo Asperger é uma condição psicológica de espectro do autismo caracterizada …