Pular para o conteúdo principal

Sobre ZACK AND MIRI MAKE YOUR PORNO


Uma comédia pra lá de divertida, e olhem que comédia nem é o meu gênero favorito de filme. Assisto de tudo, é verdade, mas sempre achei que fazer rir não é tarefa das mais fáceis, mais difícil ainda em se tratando de cinema. Que o diga o indefectível YES, MAN, que parece ter agradado a muita gente, mas a mim, sinceramente...detestei! Claro que seria injusto não citar a única cena que me pareceu divertida, quando logo no começo do filme o personagem de Jim Carrey está em uma locadora e atende a ligação do amigo afirmando que não é ele quem está falando, e vê que está sendo visto pelo colega que se encontra do outro lado do vidro. Gostei sim, nem vou mentir. Mas voltando ao Zack and Miri make a porno: impossível não rir escancarado com a história de Zack(Seth Rogen) e Miri(Elizabeth Banks) que dividem um apartamento, se encontram cheios de dívidas, e ele tem a brilhante ideia de fazerem um filme pornô para saírem do buraco em que se encontram. Com água e luz cortadas, Miri não vê outra alternativa a não ser concordar com Zack, e resolvem ser, eles mesmos, protagonistas da história, juntamente com outros atores que serão selecionados. Os dois decidem, numa conversa bem racional, que farão sexo um com o outro no filme, mas apenas pelo bem do filme, para preservarem a amizade que os une. A escolha do elenco, do cenário e do título para o filme resulta em diálogos e cenas tão bizarros que, apesar(ou talvez por isso) do excesso de termos picantes(leia-se chulos) e eróticos(leia-se vulgares), levam o espectador às lágrimas de tanto rir. Trata-se, na verdade, de uma grande e divertida sátira dos filmes pornôs. No decorrer da história Zack e Miri se descobrem apaixonados um pelo outro, mesmo que se neguem a reconhecer isso, e é aí que as coisas parecem se complicar para a continuidade do filme, pois começam a surgir os ingredientes próprios de uma relação a dois: o ciúme, o desejo de exclusividade, o zelo com o outro e o medo de magoar ou não ser entendido em suas atitudes. Nota 10 para o momento em que os dois têm que gravar a SUA cena de sexo, e as coisas não acontecem como esperado em um filme pornô. Com os sentimentos à flor da pele, a tensão e a confusão da descoberta de como se sentem em relação ao outro, eles não conseguem evitar que a cena se transforme no mais puro momento de romantismo, deixando explodir todo o amor recolhido durante anos de amizade. Uma ótima história, que poderia ter-se perdido ao descambar da comédia para o romance. Mas tal não acontece, uma vez que as cenas românticas ou mais sérias continuaram permeadas de todos os elementos cômicos do início do filme.

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não assisti, mas vou assisti.
    Adoroooo assisti filme drama, comédia, suspense, aventura e ação.
    A dica eu vou dar para você é que vale pena mesmo assisti o filme se chama
    ESCRITORES DA LIBERDADE com ATRIZ Hilary Swank,
    eu adorei assisti Escritores da Liberdade esse
    filme é ótimo e serve o exemplo para todos professores e alunos das escolas. Aproite assisti e bom diversão. Beijo.

    ResponderExcluir
  3. mulher... tu falou tanto desse filme que eu convenci uma galera de vê-lo comigo ontem na casa do Júlio... eu gostei do filme, mas minha genética não tende direcionar minhas preferências para esse tipo de filme, não gosto muito de comédia, cê sabe. Mas garimpei muitas risadas, apesar de eu não ter escolhido as melhores pessoas para assistir comigo. O Glauver rechlamou do meio pro fim e ainda cochilou (acho que era um protesto por não ser um musical), os casais não paravam de ter idéias brilhantes durante o filme, ou seja, se agarraram do meio pro final, só quem assistiu o filme todo, todinho mesmo, foi o Pedro e eu. Mas foi legal... viu?? Isso é que é seguir um blog... até suas indicações estou seguindo.... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    beijokas procê mãe mais linda do mundo!!!!

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkk
    Tu é mesmo a filha da Glos, né, Su? E essa galera que você escolheu pra assistir o filme contigo...nam, quero nem pensar quem fazia parte dela, mas vejo que o Pedro estava no meio, e sou capaz de apostar que ele gostou. Esse aí tem bom gosto, sabe reconhecer um bom filme, mesmo ele gostando de musicais, sei que o gosto dele não é tão limitado assim não, pra ficar só naquele generozinho favorito...e nem tu, né, minha Su? Também não tenho a comédia como meu preferido, mas sei reconhecer quando uma vale a pena ser vista, e essa é muuuuuuuuito, boa...rsrs...um beijo, meu amor, te amo, e é muito, e é sempre.Até quinta, morrendo aqui de saudade.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mudar... mudar para alcançar Acreditando sempre ser capaz! Lutar... lutar para alcançar Questionando e obtendo resultados!(Artigo DZ9)

Strange Fruit
( Poema de Lewis Allan, pseudônimo de Abel Meeropol, publicado em 1936.)

Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black body swinging in the Southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.

Pastoral scene of the gallant South,
The bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolia sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh!

Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop.


FILME: O CÉREBRO DE HUGO ­­­­ Ficha Técnica
Título Original: Le Cerveau d’Hugo Ano de Produção: 2012 País de Origem: França Gênero: Documentário/Drama/Ficção Roteiro e Direção: Sophie Révil Elenco: Thomas Coumans (Hugo),  Arly Jover (Elisa)
* Glosvalda Correia
O objetivo deste trabalho é apresentar as principais particularidades do AUTISMO desenvolvidas no filme “O Cérebro de Hugo”. Trata-se de um filme no formato de documentário, que explora os estudos realizados no mundo sobre o assunto, e inclui depoimentos de autistas, aspies (Asperger) e familiares. Dentro do documentário desenvolve-se a história de um personagem fictício (baseado em fatos reais), Hugo, um menino que, logo ao nascer, os pais percebem que ele é diferente: tem dificuldades para interagir com seus pais, chorava sem parar, e possuía comportamentos estranhos, como por exemplo tirar todos os livros da estante e jogá-los no chão da sala. O Autismo Asperger é uma condição psicológica de espectro do autismo caracterizada …