Pular para o conteúdo principal

Um blog pra quê?


Depois de tantas perguntas e cobranças (Glos, tu num tem um blog não?), decidi: vou fazer um blog, e de hoje não passa. Antes me perguntei pra que eu queria um blog e não encontrei resposta. Disse isso pra um ex-aluno e ele nem pensou pra responder:"ora, pra tu escrever as coisas da tua cabeça e a gente poder ler". Minha filha também já tinha me falado isso, uma vez. Então tá, fazer um blog. Segundo dilema: como eu vou fazer isso. "Ah, mas é fácil" - incentivou outro acolá, com cara de doutor em feitura de blogs - vai no google, ele ensina tudo. Fui. E não é que ele ensina mesmo? Estava estudando a lição, quando vejo no orkut a mensagem de outra ex-aluna me pedindo pra ir lá no blog que ela acabara de fazer. Tudo bem,eu vou ver, mas vou aproveitar pra dar uma bisbilhotadazinha e ver como é que se faz essa coisa. Amei o blog, achei lindo, meigo, a cara dela mesmo http://nayanaagrela.blogspot.com. E o melhor, ó maravilha das maravilhas, não é que lá, no cantinho superior da página, tem um convite bem legal pra fazer um blog, só clicando alí? nem pensei duas vezes, já fui começando a tarefa. Fácil, fácil! Tão fácil que eu desconfio que tem alguma coisa errada(sempre acho isso quando acerto). Prontinho! Tenho um blog agora, cujo título é Lorotas e Marmotas, e depois eu explico. Ah, creio que eu devo dizer que já tive um blog, antes desse, mas nunca o prazer de usá-lo. Porque foi feito pelo meu gênio da computação, que esqueceu a senha de acesso. Não lembro se ele chegou a me dar a tal senha, mas se deu...também esqueci. Então é isso. Aqui no Lorotas e Marmotas eu pretendo deixar minhas impressões sobre tudo, mas não estranhem se, de repente, tudo que surgir forem apenas os meus sentimentos.

Comentários

  1. Awee, até que enfim ;D
    Vê se dá continuidade viiiiiu ^^

    ResponderExcluir
  2. mulher tu é uma figurira ímpar, e sem blog não dava mais pra te reconhecer... kkkkkkkkkkkkkkkkk
    você só esqueceu de postar como vc concluiu que o nome seria esse, ou será que isso é cena de um capítulo posterior??? Aguardo... ainda lerei o próximo texto, viu???? Mas amei vc ter um blog, será que preciso dizer que amo você???? Sem noção do tanto...
    beiojo grande e estamos aeeeeeeeeeeeeeeee

    ResponderExcluir
  3. Acheiiii mtoooo MARAAA!!! vou ler sempre viu!!!
    adoreiii d verdade!
    SAUDADESSSS

    ResponderExcluir
  4. Oi tia Glos!!!!!!!!!!!!
    tá lindo demais teu blog... amei... e mais ainda quando vi até o endereço do meu blog no seu.fiquei muito honrada e muito feliz!!!! agora somos blogueiras rsrsrsr. Te Amo!!!

    ResponderExcluir
  5. Eu ainda não tinha blog, vou experimenta agora se vale a pena. Glos blog está massa.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mudar... mudar para alcançar Acreditando sempre ser capaz! Lutar... lutar para alcançar Questionando e obtendo resultados!(Artigo DZ9)

Strange Fruit
( Poema de Lewis Allan, pseudônimo de Abel Meeropol, publicado em 1936.)

Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black body swinging in the Southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.

Pastoral scene of the gallant South,
The bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolia sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh!

Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop.


FILME: O CÉREBRO DE HUGO ­­­­ Ficha Técnica
Título Original: Le Cerveau d’Hugo Ano de Produção: 2012 País de Origem: França Gênero: Documentário/Drama/Ficção Roteiro e Direção: Sophie Révil Elenco: Thomas Coumans (Hugo),  Arly Jover (Elisa)
* Glosvalda Correia
O objetivo deste trabalho é apresentar as principais particularidades do AUTISMO desenvolvidas no filme “O Cérebro de Hugo”. Trata-se de um filme no formato de documentário, que explora os estudos realizados no mundo sobre o assunto, e inclui depoimentos de autistas, aspies (Asperger) e familiares. Dentro do documentário desenvolve-se a história de um personagem fictício (baseado em fatos reais), Hugo, um menino que, logo ao nascer, os pais percebem que ele é diferente: tem dificuldades para interagir com seus pais, chorava sem parar, e possuía comportamentos estranhos, como por exemplo tirar todos os livros da estante e jogá-los no chão da sala. O Autismo Asperger é uma condição psicológica de espectro do autismo caracterizada …