Pular para o conteúdo principal

Sendo quem se é


Existem muitos ditados populares ou pensamentos mais filosóficos voltados para a questão do poder, e o comportamento (quase sempre alterado) de quem o recebe. Todos conhecem aquela máxima de que, para conhecer alguém de verdade, basta dar-lhe o poder. Fatalmente, a principal faceta do seu caráter virá à tona, demonstrando se ela é o que chamamos de boa ou má pessoa. Em posição de comando a pessoa lida com as duas faces dessa situação: de um lado seus subordinados, pessoas a quem ela comandará e dará as ordens, e de outro lado seus superiores, a quem ela também deve obediência e satisfações pelas atitudes tomadas. Vejamos: aquele que detém nas mãos alguma forma de poder tem a chance única de provar o seu caráter, e isso se dá exatamente no modo como se relaciona com as pessoas à sua volta. Na maioria das vezes o que temos é alguém que, por estar ocupando um posto ou cargo de chefia, trata os seus subordinados de forma tirana, acreditando que, por serem seus superiores, são também superiores a eles, e que, por outro lado, se submetem passivamente aos poderosos, de forma vergonhosa, pois disso depende a manutenção do cargo que ocupa. A pessoa passa a se ver como alguém acima dos demais, e essa visão de si mesmo o leva a não mais encarar os outros em um mesmo nível, passando a olhar “do alto”, com um arzinho de superioridade que o satisfaz, mas diz exatamente o tamanho da sua mediocridade. Infelizmente é assim que são as coisas, é assim que se comporta o ser humano. Independente do tipo de pessoa que se acredita ser, a ocupação de um posto acima dos demais transforma-o em alguém diferente de quem sempre foi, e que é, no fundo, a pessoa que ele realmente é.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mudar... mudar para alcançar Acreditando sempre ser capaz! Lutar... lutar para alcançar Questionando e obtendo resultados!(Artigo DZ9)

Strange Fruit
( Poema de Lewis Allan, pseudônimo de Abel Meeropol, publicado em 1936.)

Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black body swinging in the Southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.

Pastoral scene of the gallant South,
The bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolia sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh!

Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop.


FILME: O CÉREBRO DE HUGO ­­­­ Ficha Técnica
Título Original: Le Cerveau d’Hugo Ano de Produção: 2012 País de Origem: França Gênero: Documentário/Drama/Ficção Roteiro e Direção: Sophie Révil Elenco: Thomas Coumans (Hugo),  Arly Jover (Elisa)
* Glosvalda Correia
O objetivo deste trabalho é apresentar as principais particularidades do AUTISMO desenvolvidas no filme “O Cérebro de Hugo”. Trata-se de um filme no formato de documentário, que explora os estudos realizados no mundo sobre o assunto, e inclui depoimentos de autistas, aspies (Asperger) e familiares. Dentro do documentário desenvolve-se a história de um personagem fictício (baseado em fatos reais), Hugo, um menino que, logo ao nascer, os pais percebem que ele é diferente: tem dificuldades para interagir com seus pais, chorava sem parar, e possuía comportamentos estranhos, como por exemplo tirar todos os livros da estante e jogá-los no chão da sala. O Autismo Asperger é uma condição psicológica de espectro do autismo caracterizada …